Estranho Mundo Novo

 

‘Estranho Mundo Novo’: Novo single do PAD
ganha clipe e festa de lançamento
Música foi inspirada por ‘Admirável Mundo Novo’, livro de Aldous Huxley

O livro ‘Admirável Mundo Novo’, publicado pelo escritor britânico Aldous Huxley em 1932, é um retrato do pessimismo que dominava a época. Com a expansão dos governos totalitários e o nazismo ganhando força na Alemanha, só restava aos artistas alertar a sociedade por meio de cenários futuristas sombrios e torcer para que o cidadão comum entendesse os riscos que estava correndo. Foi o apogeu das obras de arte ‘distópicas’, verdadeiras utopias ao contrário. Em outras palavras, sonhos… do mal.

‘Admirável Mundo Novo’ fala de uma sociedade controlada pelo governo, onde a arte só existe para legitimar o regime ditatorial. Oitenta e cinco anos depois, podemos dizer que a profecia de Huxley se confirmou apenas parcialmente, talvez em lugares como a Coreia do Norte ou algumas ditaduras árabes.

Em relação à música, no entanto, a coisa fica mais complicada. Sim, a música acabou mesmo sendo usada para legitimar regimes, como aconteceu na Alemanha nazista, quando Hitler usou e abusou do fato de que a Filarmônica de Berlim era a melhor orquestra do planeta. Mas me parece que hoje a música se tornou muito mais uma forma de legitimar discursos egocêntricos e posições políticas, bem mais do que governos. Nesse mundo estranho em que vivemos, a música se tornou em muitos casos simplesmente um veículo para as celebridades exercerem a sua fama. Muitos artistas e bandas aparecem e desaparecem com a mesma velocidade-relâmpago, justamente porque a maioria não tem uma base musical sólida. O que vale é a imagem, a maneira como o artista se vende. Nesse sentido Aldous Huxley acertou: em vez de governos, o artista quer legitimar sua própria – e egocêntrica – existência.

É por tudo isso que acho uma bela surpresa ver ganhar destaque no Brasil uma banda que está mais preocupada com a música do que com outra coisa. Parece óbvio, mas basta ver os artistas que fazem sucesso em plataformas de streaming ou redes sociais para saber que não é tão óbvio assim. Ninguém está preocupado em fazer música boa. A maioria quer apenas ser famoso.

O PAD quer fazer música boa. É uma banda que tem não apenas grandes músicos, mas artistas com a coragem necessária para desafiar o mercado e fazer um som que andava meio esquecido por aqui: rock de verdade. Sim, saber tocar um instrumento é uma qualidade incrível. Mas quem vai perder tempo com isso, numa sociedade em que tudo passa tão rápido? No livro de Aldous Huxley, bastava uma pílula de ‘SOMA’ para se chegar à felicidade. Será que não tem algo assim na música? Uma pílula que você toma e sai tocando guitarra como Jimi Hendrix?

Não. Felizmente. Para tocar, ainda é preciso aprender um instrumento. Passar horas repetindo os mesmos acordes e escalas. Se dedicar, ensaiar muito. “Peraí, mas hoje em dia todo mundo faz dublagem ao vivo.” Bem, nem todo mundo.

O PAD está lançando seu segundo single, ‘Estranho Mundo Novo’, com letras inspirada no livro de Aldous Huxley, além de um clipe muito bacana dirigido pelo Eduardo Galeno. E o melhor é que dá para ver tudo isso ao vivo: o PAD armou uma festa para comemorar o lançamento. A banda só tem feras: Fábio Noogh (vocal), Marcos Kleine e Leandro Pit (guitarras), Will Oliveira (baixo), Rodrigo Simão (teclado) eThiago Biasoli (bateria). Quem conhece o meio musical sabe que esses músicos têm carreiras consolidadas, como Noogh, que já cantou com grandes nomes da música brasileira, e Marcos Kleine, guitarrista do Ultraje a Rigor e do programa do SBT ‘The Noite’, apresentado por Danilo Gentili. Por que se juntaram para formar o PAD? Porque com a banda eles têm a liberdade para compor e tocar o que vier à cabeça. Nesse caso, um rock direto, com vocais rasgados e potentes, além de guitarras no volume 20.

A letra de ‘Estranho Mundo Novo’ é uma crítica ao momento em que a gente vive: “Que estranho mundo novo / Esse que a gente vive / Cada vez mais julgamento / Cada vez mais sem limite”. Em outro trecho, levanta questões que fazem parte do nosso dia a dia: “Quem quer pagar pra ver? / Quem se importa? / Ou quem quer viver, sobreviver? / Nesse estranho mundo?

O clipe de ‘Estranho Mundo Novo’ foi dirigido por Eduardo Galeno, com direção de fotobgrafia de Angelo Pastorello. Quer ver o clipe e a banda ao vivo? Então nos vemos na festa de lançamento no Johnnie Wash, no dia 15 de dezembro. O mundo pode andar meio estranho hoje em dia, mas pelo menos ouvir música boa ao vivo e tomar cerveja gelada ainda não foi proibido.

PAD

Lançamento do clipe ‘Estranho Mundo Novo’

Festa

Johnnie Wash: R. Gomes de Carvalho, 815 – Vila Olimpia, São Paulo – SP
Dia 15 de dezembro. Abertura da casa às 19h e show às 23h59
Valor: R$ 45 (consumação com nome na lista)

Ficha técnica / Videoclipe
Produtora: Monte Castelo Entretenimento www.montecastelo.art.br
Direção: Eduardo Galeno
Direção de fotografia: Angelo Pastorello
Assistente de direção: Ulisses Andreguetto
Câmera: Renan Pacheco e Eduardo Galeno
Produção Geral: Ulisses Andreguetto e Rodrigo Fontes
Direção de arte: Noogh
Edição e finalização: Eduardo Galeno
Color: Angelo Pastorello e Eduardo Galeno
Maquiagem: Samiris Lola
Capa: Bruno Solera Ciaco
Release: Felipe Machado

PAD - Estranho Mundo Novo
PAD – Estranho Mundo Novo

Stand Up Rock com Rey Biancchi, Patrick Maia, Nil Agra, André Santi e PAD.

Evento é a 1ª edição no formato “Rock Fun Festival” com muito humor, música e diversão que acontece dia acontece dia 13/08 as 20hs no Teatro UMC

Para comemorar o Dia dos Pais nada melhor que dar muita risada e ouvir boas músicas. Pensando nisso a banda PAD formada por Fabio Noogh (vocal), Marcos Kleine (guitarra), Leandro Pit (guitarra), William Bill de Oliveira (baixo), Rodrigo Simão (teclado) e Thiago Biasoli (bateria), convidaram os humoristas, músicos e amigos Rey Biannchi, Patrick Maia, Nil Agra e André Santi para um evento especial no formato “Rock Fun Festival” juntando em um único dia Stand Up Comedy e Rock ‘N’ Roll.

Diversão garantida com muitas surpresas para o público, além de um ótimo presente para o Paizão fechar o seu dia com chave de ouro é o que promete o Stand Up Rock! Quem sabe não rola um Jam Session dessa galera!!!

 

PAD

Banda de Pop Rock Nacional que surgiu em novembro de 2016 e tem o propósito de mostrar trabalho autoral e algumas releituras de bandas marcantes do Rock Nacional. O nome internacionalizado “PAD” é um trocadilho.  Traz muitas nuances, como experiência, paz, amor. O brincar e a sorte também estão agregados ao nome. A ideia, segundo os integrantes da PAD, veio de uma brincadeira com o Chickenfoot, que em inglês significa pé de galinha. “Ainda que a expressão remeta a ter uma certa idade (que nós não negamos!), PAD soa divertido, universal e moderno. Além de tudo, aportuguesando de volta, PAD soa como “pede”, do verbo pedir. Daí o #padqueeuvou #padqueagentetoca #padmais.

 

REY BIANCCHI

Se formou em Marketing com especialização em Psicologia do Marketing. É humorista, músico e palestrante. Sucesso no Programa do JÔ onde já foi 11 vezes entrevistado, 3 vezes no The Noite com Danilo Gentili, além de participar dos programas do Ratinho, Faustão, Roberto Justus, entre outros.

Reconhecido palestrante “humortivacional”, nomenclatura que Rey criou para apresentar palestras mesclando temas corporativos com humor, música e dinamismo. Elogiado em vídeo por Chico Anysio, Jô Soares, Fábio Porchat, Marcelo Adnet, Leandro Hassum, e na área de palestras por Ivo Pitanguy e Antonio Ermírio de Moraes. Recebeu cartas de recomendação da Petrobrás, Eletronorte, Vale, SESI, FIRJAN, FURNAS, Prefeituras e Universidades em todo país

 

PATRICK MAIA

Nascido em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, Patrick Maia é formado em Propaganda e Publicidade e atuou como redator em diversas agencias durante um longo período. Tempo suficiente para perceber que sua criatividade seria melhor aplicada no humor, já que tudo o que criava era motivo de gargalhadas. Em 2011, Integrou o grupo “Clube da Comédia” e faz apresentações em diversos shows de humor em São Paulo e pelo Brasil.

A convite de Danilo Gentilli, co-escreveu o roteiro de seu DVD, “Politicamente Incorreto” e se tornou roteirista do programa Agora É Tarde, na Rede Bandeirantes, onde permaneceu por dois anos.

Patrick já teve várias participações na televisão como no programa da RedeTv, o “Morning Show” (posteriormente Muito Show), além de fazer parte do programa carro chefe da nova MTV Brasil, o “Coletivation”, dividindo o programa com Fiuk e Kéfera Buchmann. Participou dos aclamados especiais de stand-up do Comedy Central, o “Comedy Central Apresenta” e posteriormente o “Republica do Stand-Up”.

Em 2014, foi convidado para ser integrante do programa Pânico na Band, onde permaneceu até 2015. No Netflix, é possível encontrar o Patrick com seus 2 shows: O “Piadas Para Pessoas” e “Home Office”, um show de stand-up gravado em seu próprio apartamento. Atualmente, se dedica ao seu show, se apresentando em bares e teatros pelo país e aos seus projetos na internet.


NIL AGRA

No métier dos bons humoristas, um olhar ou um simples trejeito basta para provocar o riso. Nil Agra, com suas caras, bocas e língua sempre afiada é expert em ilustrar de maneira descontraída e engraçada casos corriqueiros do dia a dia. Brasiliense criado no Recife, PE revelação do stand-up comedy nacional, o comediante conquistou plateias do nordeste e sudeste.

Nil Agra fez fama em Pernambuco depois de participar de projetos de humor no Restaurante GioPizzeria, Spirit Music Hall e Jardins. O ator também comandou, em Brasília, o Comédia de Quinta, um laboratório de stand up comedy que abriu espaço para apresentação de comediantes amadores. Além dos shows em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe realizados com os grupos Tripé da Comédia e Comédia de 4, NilAgra tem se apresentado com os mais relevantes grupos de stand up do País. Entre eles, o Comédia em Pé (RJ),Santa Comédia (PR), Divina Comédia (SP), Comédia ao Vivo (SP) e Queijo, Comédia e Cachaça (MG), entre outros.

 Nil Agra apresentou-se também no quadro Humor na Caneca do Programa do Jô. Paralelamente à vida de comediante, o brasiliense é baterista da Banda Renatinho, com os também humoristas Tatá Werneck, Mauricio Meirelles, Marco Gonçalves e Murilo Couto.

 

ANDRÉ SANTI

Músico, ator e comediante, experiências distintas que contribuíram para a rápida ascensão no mundo do Stand-Up Comedy, onde iniciou em 2009. Sucesso de publico e critica por onde esteve em cartaz e dono de um humor físico com um ritmo cativante, que quebra o tradicionalismo do formato, tornando ainda mais atraente suas apresentações.

Com mais de 10 anos de experiência artística é um dos poucos humoristas que mistura diversas linguagens artísticas dentro de um único show. Além disso Andre´ lança semanalmente vídeos na internet com esquetes de humor publicados por diversos sites de humor com grande aceitação e resposta do público.

Apresentou por 3 anos o programa “Os Impedidos” da TV Gazeta e por um ano integrou o elenco do Programa Pânico na Radio Jovem Pan. Também apresentou o quadro “Gongo da Pan” em 2011 e produz material humorístico para a radio Jovem Pan FM. André já esteve nos programas “The Noite” e “Domingo Legal do SBT”, “Agora e´ Tarde” na TV bandeirantes, “Tudo é Possível” na Rede Record, entre outras emissoras.

Durante todo esse tempo André Santi já passou por diversas cidades do estado de São Paulo (São Paulo, Sorocaba, Campinas, Piracicaba, São Roque, Santos, São Vicente, entre outras) e também nas principais casas de shows de diversas cidades como Curitiba, Belo Horizonte e Brasília.

 

Serviço:

Stand Up Rock!
Data: 13/08/2017
Hora: 20h
Local: Teatro UMC
Endereço: Av. Imperatriz Leopoldina, 550
Vila Leopoldina – São Paulo – SP.
Ingressos: R$ 30,00 a R$ 60,00
Vendas online: http://compreingressos.com/espetaculos/8489-stand-up-rock

 

Informações para a imprensa:
Adriana Baldin

Agência 1 A 1
dribaldin@hotmail.com
11 99271 5483
www.agencia1a1.com.br